artista plástico usa materiais exóticos para criar seu trabalho

Em seu trabalho, Vik Muniz consegue fazer com que obras já produzidas fiquem com um toque especial: seu toque pessoal

Muitos podem não conhecer o trabalho do artista plástico Vik Muniz, que é brasileiro, mas radicado em Nova York. Em seus 49 anos de vida, soube aproveitar materiais que jamais seriam lembrados para fazer ou refazer qualquer obra produzida, e criar algo totalmente inédito, onde sua imaginação  pode alcançar extremos jamais vistos.

O trabalho que o público brasileiro pode ter mais acesso na atualidade, é na abertura da novela “Passione” de Sílvio de Abreu, transmitido pela Rede Globo. Foi produzida juntamente com o designer Hans Donner, e também por Alexandre Pit Ribeiro e Roberto Stein.

Na ocasião, o trabalho todo foi feito com lixo e muita sucata, isso porque um dos temas que dão eixo à novela, é a empresa de Olavo, personagem de Francisco Cuoco que trabalha exclusivamente com resíduos industriais.

Mas não é a primeira vez que Hans Donner escolhe trabalhar com esse tipo de material: nas novelas Duas Caras (2007) e em Rainha da Sucata (1990), pode-se notar que há a mesma intenção quando se foi idealizada, retratando a pobreza e o modo que a população dava importância à sucata.

Mas não é apenas o lixo que Vik Muniz consegue dar vida: entre os materiais excêntricos que fazem parte de seu trabalho, estão todos os tipos de comida, brinquedos, gel e outros tipos de objetos. Prova disso são as suas criações, como a famosa Mona Lisa de Leonardo DaVinci em duas versões, uma de geleia e a outra de pasta de amendoim. Ainda nas obras de Leonardo, recriou “Última Ceia” usando açúcar, fios, arame, e xarope de chocolate. Para sua série Sugar Children (Crianças do Açúcar), Muniz foi para uma plantação de açúcar em St. Kitts para fotografar filhos de operários que trabalham lá. Após voltar para Nova York, ele comprou papel preto e vários tipos de açúcar, e copiou os instantâneos das crianças espalhando os diferentes tipos de açúcar sobre o papel e fotografando-o.

Obteve diversos méritos em seus trabalhos, sendo destaque no “The Hours-Visual Art of Contemporary Latin America” (2007) em uma mostra no Museu de Arte Contemporânea de Sydney, na Austrália, e também no Festival de Sundance por “Lixo Extraordinário”, um documentário sobre seu trabalho com catadores de lixo em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.

Este ano, no Festival de Berlim, na Alemanha, recebeu prêmios em duas categorias: o da Anistia Internacional e o público na mostra Panorama.

Recentemente, participou de um informe publicitário (veja o vídeo abaixo) contra o preconceito à pessoas portadoras do vírus da AIDS. Reuniu cerca de 1.200 pessoas, onde cada uma segurava um cartaz que se encaixava com os demais para formar uma figura de duas pessoas se beijando, contando a história de um amigo de Vik que era poratdor, e ele não soube despedir dele como se deveria, enfatizando a ideia de que o vírus não se é transmitido com um simples beijo, seja no rosto ou na boca.

Quando a criatividade interage com o senso crítico, o sucesso é garantido.

See ya!

Por:Raphael Ezonne

About these ads

8 comentários sobre “artista plástico usa materiais exóticos para criar seu trabalho

  1. vick muniz se todo artista tivesse essa consciência social nao tinha tanta gente passando fome, ele alem de fazer a arte maravilhosamente bem é muito criativo ,o filme lixo extraordinario é perfeito retrata a realidade de pessoas q nao tinha mais sonhos e nem perspectiva de vida e a arte mudou o rumo de suas istorias!muito bom!

    Curtir isso

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s